Eventos

Venha nos visitar
Data : 17 / nov / 2018
Horário : 22:00
Endereço : RUA DUVIVIER, 37, COPACABANA
Tel : 21 96800-8683 & 2543-2962
40,00 (DINHEIRO)

GILSON PERANZZETTA ENCONTRA GUSTAVO BAIÃO, JOÃO SENISE E FILIPE MORENO

22:00 (SÁB) | Bottle's Bar

GILSON PERANZZETTA
encontra
GUSTAVO BAIÃO | JOÃO SENISE | FILIPE MORENO

Gilson Peranzzetta encontra seus filhos musicais, Gustavo BaiãoJoão SeniseFilipe Moreno, no Beco das Garrafas, Copacabana.
Gustavo Baião vai cantar as canções de Gilson Peranzzetta registradas em seu cd dedicado ao maestro.
João Senise vai apresentar músicas de seus 6 cds, todos com arranjos e direção musical de Peranzzetta.
Filipe Moreno, talentoso baixista, novo parceiro do anfitrião completa o time.

 

GILSON PERANZZETTA
_______________________________________________

O pianista, compositor, arranjador, produtor e maestro Gilson Peranzzetta é um dos mais renomados artistas brasileiros da atualidade, referência na nossa música. Sua performance como pianista e arranjador tem personalidade, criatividade, delicadeza, e requinte, sem jamais perder a brasilidade. Citado pelo maestro Quincy Jones como um dos maiores arranjadores do planeta, Peranzzetta recebeu inúmeros prêmios, entre eles cinco Prêmios de Música Brasileira como melhor arranjador, compositor e solista. E atingiu a impressionante marca de 55 CDs lançados no período de 1968 a 2018.

Parceiro de Ivan Lins em sucessos mundiais como Love Dance e Setembro, atuou também como diretor musical, produtor e arranjador da fase mais importante de sua carreira. Paralelamente foi arranjador e ou produtor de grandes cantores e músicos da MPB como Gonzaguinha, Taiguara, Elizeth Cardoso, Nana Caymmi, Simone, Gal Costa, Leny Andrade, Edu Lobo, Fátima Guedes, Billy Blanco, entre outros.

Considerado um dos compositores mais refinados da música brasileira Peranzzetta tem atualmente 300 músicas compostas, muitas delas gravadas por artistas nacionais como Djavan, Ivan Lins, Leila Pinheiro, Leny Andrade, Dori Caymmi, Nana Caymmi, Edu Lobo, Emílio Santiago e por artistas internacionais – George Benson, Sara Vaughn, Quincy Jones, Patty Austin, Jack Jones, Dianne Schurr, Dianne Reeves, Toots Thielemans, Shirley Horn e Barbra Streisand

Para a música de concerto, Gilson compôs as suites “Miragem” , apresentada em primeira audição pela Jazz Sinfônica de São Paulo e “Metamorfose” para orquestra sinfônica e piano apresentada em primeira audição pela a OSB – Orquestra Sinfônica Brasileira na Sala Cecília Meireles , além de inúmeras peças compostas para grupos de câmara.

Atuou como solista e arranjador com a Orquestra Sinfônica Brasileira, Orquestra Petrobrás Sinfônica, Orquestra Sinfônica Nacional UFF, JazzSinfônica (São Paulo), Pittsburgh Symphony Orchestra (EUA), Metropole Orkest (Amsterdam), WDR Big Band (Köln, Alemanha), Manhattan Jazz Philharmonic Orchestra (New York) entre outras. Com sólida carreira internacional apresentou-se nos mais importantes festivais na Europa, Estados Unidos e Japão.

 

GUSTAVO BAIÃO
_______________________________________________

 

Gustavo Baião é cantor e compositor.

 

Começou a estudar música e canto aos 10 anos de idade, e gravou seu primeiro álbum, “Segredos do Mar”, no verão de 2001, trazendo canções autorais e algumas regravações de outros compositores.

 

Para o segundo CD, convidou o maestro, multiinstrumentista, arranjador (considerado um dos maiores arranjadores do mundo) e compositor carioca Gilson Peranzzetta para gravarem juntos um álbum em homenagem a Peranzzetta, só com músicas deste.

 

O disco “Gustavo Baião – Canções de Gilson Peranzzetta”, lançado pela gravadora Fina Flor (2016), tem as participações especiais de Leila Pinheiro, João Senise e Célia Vaz. Recebeu indicação ao Prêmio da Música Brasileira em 2016.

 

Em 2017, a música “Só vim matar a Saudade” (Nelson Faria/Gustavo Baião) foi gravada na Alemanha, pela cantora Ulla Haesen, dando título inclusive a esse álbum alemão, e vem sendo interpretada em vários países do mundo. No mesmo ano, a música “Mares do Sul”, parceria de Gustavo, Nelson Faria e Maria Inez Boabaid, foi gravada pelo cantor Yuri, no seu primeiro álbum de carreira.

 

Em julho de 2018, lançou o EP “Só vim matar a saudade”, em parceria com o guitarrista e compositor Nelson Faria. Do álbum, participaram Joyce Moreno e Maurício Einhorn.

 

Em julho de 2018, gravou com o compositor, cantor e guitarrista Tico de Moraes o clipe “Pas-de-Deux”. No mesmo ano, em novembro, lançou com Tico o EP de mesmo nome, com participações de Jane Duboc e Alexander Raichenok.

 

Gustavo se apresenta na noite desde 1996, cantando musicas autorais e de outros compositores, em carreira solo e na banda BacuriJazz. É parceiro de diversos expoentes da música brasileira, dentre os quais Gilson Peranzzetta, Simone Guimarães, Luizão Paiva, Glauco Luz, Nelson Wellington, Maurício Einhorn, Tico de Moraes e Nelson Faria.

 

 

JOÃO SENISE

_______________________________________________________________________

 

Em seis anos de carreira o cantor e jornalista João Senise (29 anos) apresenta uma expressiva produção musical. Lançou cinco CDs solo, “Just in Time” (mar 2013 – indie), “Abre Alas – Canções de Ivan Lins” (fev 2015 – Fina Flor), “Celebrando Sinatra” (mar 2016 – Fina Flor), “Influência do Jazz” (dez 2016 – Fina Flor), “Love Letters” (dez 2017 – Fina Flor) participou de importantes festivais  e tem feito inúmeros shows por todo o Brasil sempre com a direção musical e arranjos do maestro Gilson Peranzzetta.

 

Desde pequeno conviveu num ambiente musical. Filho do flautista e saxofonista Mauro Senise e da produtora Eliana Fonseca Peranzzetta, começou a ter aulas de iniciação musical, aos quatro anos, na Escola de Música Antonio Adolfo.

 

Aos sete anos iniciou os estudos de piano e canto e passa a conviver com Gilson Peranzzetta, segundo marido de sua mãe, tendo com ele aulas de piano.

 

Entre 1996 e 1999, João integrou o coral do colégio Espaço Educação, tendo atuado como solista em diversas apresentações. Em 1997, com apenas 8 anos de idade, gravou a música “Sempre Amigos”, dividindo a faixa com Gilson Peranzzetta. Em 2001, participou dos shows de lançamento do cd “Pingolé”, de Gilson Peranzzetta, tocando escaleta, na música que dá nome ao cd e foi composta em sua homenagem.

 

No final da adolescência, passa a trabalhar com Eliana Fonseca Peranzzetta, como assistente de produção em projetos, shows e CDs.

 

Em 2007, entra para o Curso de Jornalismo da PUC Rio, tendo se graduado em 2010. Um ano depois, encanta-se pela política e torna-se assessor parlamentar, permanecendo no cargo até dezembro de 2012. Nesse período, a carreira artística ficou em segundo plano.

 

Mas a música falou mais alto e, no final de 2012, João Senise surpreende a todos e grava seu primeiro cd, cantando standards de jazz – “Just in Time”, com direção musical e arranjos de Gilson Peranzzetta. O show de lançamento na Sala Baden Powell, recebeu um público recorde, brindado com a reprodução fiel do cd, com orquestra de cordas, naipe de sopros e convidados.

 

 

Em 2014 grava seu segundo cd “Abre Alas – Canções de Ivan Lins”, lançado oficialmente na Sala Cecília Meireles, em março de 2015, num show memorável, reunindo no palco excepcionais instrumentistas brasileiros , além das participações especialíssimas de Leila Pinheiro e do homenageado Ivan Lins. Abre Alas foi recebido entusiasticamente pelo público e teve críticas elogiosas em matérias publicadas em jornais de vários estados do Brasil.

 

Em 10 de dezembro de 2015 João Senise subiu mais uma vez ao palco da Sala Cecília Meireles dessa vez para homenagear Frank Sinatra em seu centenário. O show com direção musical e arranjos de Gilson Peranzzetta teve como convidados Aurea Martins, a Banda Brass de Pina e Mauro Senise.

O show gravado ao vivo na Sala Cecília Meireles, foi lançado em CD físico e nas plataformas digitais pelo Selo Fina Flor, em 2016.

 

Ainda em 2016 João Senise gravou seu quarto cd “Influência do Jazz” com um repertório basicamente de standards de bossa nova, promovendo um encontro de nosso gênero mais tocado no mundo com o universo do jazz. Como não poderia deixar de ser Senise convidou artistas consagrados, ícones da MPB, para abrilhantar este projeto –  Alaíde Costa, Antonio Adolfo, Áurea Martins, Edu Lobo, Joyce, Roberto Menescal, Wanda Sá, com a participação especial de um time de instrumentistas de dar água na boca.

 

Influência do Jazz foi lançado oficialmente  no dia 10 de fevereiro de 2017, na Sala Cecília Meireles com a presença dos convidados que participaram do cd.

 

Em 2018, João Senise lança seu quinto CD “Love Letters”, na Sala Baden Powell, Rio de Janeiro com as participações especiais de Indiana Nomma, Cris Delanno e Mauro Senise.

 

João Senise já levou sua arte a diversas cidades brasileiras com destaque para as apresentações na Festa da Música e no Museu da Pampulha, em Belo Horizonte/MG; no Centro Cultural Yves Alves em Tiradentes/MG;  no Parque Botânico Vale, em Vitória/ES; na Sala Cecília Meireles e na Sala Baden Powell,  no Rio de Janeiro/RJ ;  no Sorocaba Jazz Festival, em Sorocaba/SP; no XX Festival de Inverno de Domingos Martins/ES ; no 6º Tiradentes Jazz Festival, em Tiradentes/MG, no Teatro SESI Goiânia com a Orquestra de Sopros do Cerrado, quando foi gravada ao vivo a música Ai, Ai, Ai que viria a fazer parte do cd Abre Alas; no Rio Jazz Fest, em Santos/SP, no Projeto Metso Cultural, em Sorocaba/SP, no Festival Jazz & Blues de Guaramiranga/CE, no Festival de Inverno de Petrópolis/RJ, nos SESCs 24 de Maio e Araraquara, em São Paulo, Teatro Rival, no Rio de Janeiro/RJ e no Blue Note Rio, Rio de Janeiro/RJ.

 

Filipe Moreno
_______________________________________________________________________

Nascido em uma família com mais de quatro gerações de músicos natos, oriundos da Chapada Diamantina, Macaúbas-BA, Filipe Moreno nasce em Salvador-BA, 1992. Sua casa era regada sempre por grandes músicos e música de qualidade. Autodidata, Filipe, começa a tocar piano aos 5 anos, de ouvido. Influenciado pela família extremamente musical e prezando a boa música e sempre se identificando com a música brasileira. Aos treze anos ganha um baixo maciço do Pai e começa a tocar também de ouvido. O músico diz que foi um presente de Deus, o ouvido e a musicalidade que desde novo era percebida pela família que hoje lhe contam histórias dessa época.

A partir dos 14 anos de idade começa a trabalhar profissionalmente com música, mas pela pouca idade, ja tinha consciência do que queria com a sua própria arte. Aos 18 anos muda-se para São Paulo-SP, sempre levando a sua “verdade” musical na bagagem. Uma verdade mais do que aceita pela identidade musical que o artista tem em sua nervura. Consegue abrir um grande leque para a música instrumental brasileira e já é reconhecido por isso no Brasil e em parte do mundo.

Foi premiado em terceiro lugar no festival nacional de instrumentistas o Premio Nabor, em Indaiatuba-SP, com a música “Meu Tabuleiro”, música que da o título ao seu primeiro álbum, no qual foi interpretada em contrabaixo solo.

Em sua jornada musical, acompanhou e gravou com alguns artistas nacionais como: Margareth Menezes, Nelson Faria, Leila Pinheiro, Armandinho Macêdo, Oswaldinho do Acordeom, Gilson Peranzzetta, entre outros.

Reconhecido pelo baixista lendário Lee Sklar e pelo baixista Federico Malaman depois de um video viral em suas redes sociais, Filipe Moreno tem notoriedade e começa a dedicar-se a “solo”, acaba por ter mais notoriedade ainda e tem uma entrevista na revista “Bass Player” do Brasil, onde ele conta sobre suas influências, a maneira como toca e quais instrumentos ele usou na época.

Atualmente vivendo no Rio de Janeiro, desenvolve o seu trabalho autoral solo, em trio e também com o Maestro Gilson Peranzzetta, no qual tem um duo. Filipe também é um dos mais jovens endossantes da ”Fodera Guitars”, uma das mais grandiosas luthierias já existentes no mundo, Moreno construiu seu instrumento com a Fodera para satisfazer as suas necessidades como instrumentista e acaba de lançar seu segundo álbum de contrabaixo, sendo este completamente solo, com nove composições autorais, sendo um projeto único e considerado pelos ouvintes de uma rica diversidade musical, inovadora e preciosa. É um CD com obras de reverência à música, o sentimento mais puro, e a cada composição sensações diferentes, alcançando o principal objetivo de hipnotizar através de palavras que não são ditas: a música.

Show de Filipe Moreno realizado dia 28 de Setembro de 2018 no Teatro Carlos Jehovah, em Vitória da Conquista.

Show de Filipe Moreno realizado dia 28 de Setembro de 2018 no Teatro Carlos Jehovah, em Vitória da Conquista.

JOÃO SENISE FOTO AMRCELO CASTELLO BRANCO 10